Cotas raciais: por que sim?

A quem interessar possa

Para aqueles que querem passar para o lado negro da força, independentemente da cor da pele, sugiro a leitura abaixo. É uma publicação que vem sendo distribuída gratuitamente para escolas, instituições e pessoas de todo o país, e que explica, na contracorrente do senso comum e dos maiores meios de comunicação do país, a importância da implementação, manutenção e ampliação da política de cotas raciais (parte desse universo maior que são as ações afirmativas como um todo), bem como seus benefícios para toda a população brasileira – novamente, independentemente da cor da pele.

A publicação é do Ibase, com o apoio da ActionAid. O texto é de Cristina Lopes, socióloga e pesquisadora do Ibase, e eu fui o editor. Sou suspeito para falar, mas vou te contar: está um belo trabalho, redondinho. Em linguagem simples, desmistifica aqueles argumentos do tipo “vai dividir o Brasil em negros e brancos e provocar uma guerra sangrenta”; “isso é dar atestado de incapacidade aos negros”; “vai cair a qualidade do ensino nas universidades”; “o problema todo é a pobreza”; dentre tantos outros, apresentando uma visão mais ampla sobre a questão racial no Brasil.

É só clicar que abre o pdf. A quem interessar receber as cartilhas impressas, se ainda houver exemplares disponíveis, dada a demanda (sério, não é gargantagem), escreva para a Cristina: crislopes@ibase.br

A partir de agora, fica ali na coluna da direita para baixar. Façam a boa ação do dia e espalhem por aí.

E ainda vamos falar muito desse assunto por aqui.

atualização:

Um teaser pra galera: você sabia que estudantes negros – de acordo com o MEC e com o PNUD – comparados a estudantes brancos em condições de igualdade socioeconômica (com a mesma renda familiar, moradores das mesmas regiões, alunos das mesmas escolas e com pais de mesma escolaridade) possuem rendimento escolar inferior ao dos alunos brancos? E que, à medida que vai avançando em seu grau de escolaridade, essa diferença fica ainda maior? E que, por último, se a comparação é feita entre alunos da rede particular, especialmente entre as escolas mais caras, o fosso se torna um abismo? Pois é, meu povo, nem só de dinheiro se faz o mundo – eis que muitos outros signos também regem nossas vidas.


Anúncios

8 Responses to “Cotas raciais: por que sim?”


  1. 1 Rafael Abreu 21/07/2009 às 17:51

    Belíssima notícia a sua chegada! Agora sim começo acreditar que as teses do Idelber sobre a putrefação da mídia se realizarão.

    Voz inteligente num debate viciado. Será que passo de vez pro lado negro da força? Já estou quase com os dois pés… O incômodo com as presenças do lado dos ‘contra’ é demais.

    Aguardo o primeiro post musical.

    Abração

  2. 2 Rafael Cesar 21/07/2009 às 21:39

    Quanta gentileza, meu amigo! Mas, se leres a cartilha, vais colocar os pés de vez do lado de cá da força. Eu sei que é prejudicial levarmos essa questão como um Fla x Flu (sendo o Fla os pró-cotas, é claro), mas, é foda, acaba virando uma disputa política, mesmo. Tem jeito não.

    Vai pintar música aí, querido, jájá.

  3. 3 cristina lopes 22/07/2009 às 13:09

    queridíssimo editor,

    obrigada pelo reclame e parabéns pelo blog!

    beijo,

  4. 4 Gabriela Ventura 23/07/2009 às 17:32

    você sempre me interessa, você me interessa pra sempre. acho que é isso, você sabe, e eu apóio, blog temático, blog improviso. só não apóio que você pare, porque você precisa ser ouvido.

  5. 5 Gabriela Ventura 23/07/2009 às 17:33

    você percebeu que eu me enganei de post pra deixar o comentário, né não? preciso me acostumar às modernices do wordpress. ;)

  6. 6 Rafael Cesar 23/07/2009 às 18:46

    Não, eu também não gosto do esquema de comentário acima do post. Não faz o menor sentido, mas eu é que ainda não me acostumei com as modernices do wordpress pra conseguir mudar isso.

    :*ááá

  7. 7 Alexandre L'Omi L'Odò 02/03/2010 às 08:20

    Pernambuco ainda anda pra trás com estas discussões sobre cotas. A UFPE infelizmente é retrograda e enrigecida nas pessoas de seus reitores e dirigentes. Mas isso vai mudar, queremos uma universidade federal mais equânime para o povo pernambucano!

    L’Omi.

  8. 8 Rafael Cesar 02/03/2010 às 16:21

    Vai mudar, sim, Alexandre, mas temos que ter paciência. Aliás, já está mudando. As universidades masi tradicionais resistem. Aqui no Rio, a UFRJ não tem nem cotas sociais, que dirá raciais. Mas vai acontecer. Vai chegar em Pernambuca, vai sim. Estou preocupado, agora, é com a discussão que vai ter no STF sobre o caso. Vamos aguardar…

    Rafael.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




oquê, caboco!

quando chegar a um milhão, eu fecho o blog.

  • 42,746

escreva seu e-mail no campo abaixo

Junte-se a 8 outros seguidores

quer falar comigo, ném?

meu jazz @ gmail . com

———————————————-


%d blogueiros gostam disto: